retinoblastoma

Retinoblastoma e a importância da oftalmologia na infância

O apresentador Tiago Leifert e sua esposa, Daiana Garbin, vieram a público relatar sua luta contra a retinoblastia, um câncer intraocular mais comum em crianças, que, infelizmente, atinge a sua filha, Lua, de um ano e três meses.Como vocês sabem nós, da Duas Pequeninas, buscamos sempre trazer assuntos relevantes e agregadores sobre o universo infantil. Dessa vez não seria diferente, confira em nosso artigo um pouco mais sobre a doença e entenda a importância do diagnóstico precoce.

O que é retinoblastoma?

O retinoblastoma é um tumor maligno que se origina na membrana do fundo do olho chamada retina. Esse tumor pode acometer um ou os dois olhos por causa de uma mutação genética, mais especificamente no cromossomo 13. Em 90% dos casos a causa dessa mutação é desconhecida, sendo que os outros 10% tem fator hereditário como origem. Ou seja, a origem está na informação genética vinda dos pais.
Uma curiosidade sobre este tema tão necessário é que o único brasileiro citado entre os pesquisadores mundiais é o oftalmologista carioca Hilário de Gouveia. Ele observou e diagnosticou a doença em um menino em 1872. O garoto de teve um olho pelo acometido retinoblastoma retirado, já que era o único procedimento disponível à época. O garoto sobreviveu, cresceu e, anos mais tarde, casou-se. O casal teve vários filhos, mas duas filhas foram diagnosticadas também com retinoblastoma, porém, a doença as acometia em ambos os olhos e infelizmente as duas faleceram. A genética ainda dava seus primeiros passos na Europa naquele tempo, porém, essa observação do doutor Hilário, que também era professor da Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro ajudou os pesquisadores, que vieram depois, a verificar que origem do retinoblastoma residia também nas informações genéticas.
Os sinais da doença podem estar presentes já no nascimento ou surgir até aos 5 anos de idade, geralmente.

Você sabia?

No Brasil, desde 2017, o Teste Do Olhinho (TRV) é obrigatório em recém-nascidos nas 48 horas após o nascimento desde 2017.

O que diz a SBOP

A Sociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica (SBOP) e o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) recomendam o seguinte acompanhamento para a saúde ocular das nossas crianças:
  • Repetir o Teste do Olhinho três vezes ao ano;
  • Bebês de 6 a 12 meses fazer exames oftalmológicos completos;
  • E crianças nas idades de 3 a 5 anos devem sempre ser avaliadas pelo oftalmologista;

Devemos estar atentos

Os sinais retinoblastoma são normalmente observados pelos pais/responsáveis através de imagens de fotografia, onde um ou os dois olhos aparecem com um reflexo opaco incomum sobre a pupila, a chamada “menina dos olhos”, região em que se é comum ver aquele reflexo avermelhado em algumas fotografias.Como a função da retina, que uma fina membra que fica na parte posterior dos olhos, é justamente captar a luminosidade que vem através da córnea, humor aquoso, pupila e, por último, o cristalino para chegar à retina. Esta, estando doente, como no caso do retino blastoma, faz com que aquela opacidade, vista nas fotografias, fique visível naquele tão rápido registro de um tempo.Mas o retinoblastoma causa também outros sinais, que são:
  • Estrabismo;
  • Mudança da cor da íris;
  • Olho vermelho inchado e/ou dolorido;
E outros.Como nosso objetivo é sempre tratar de assuntos que digam respeito ao mundo infantil, ao bem-estar de crianças e, por consequência, também dos adultos que as assistem, todas essas informações têm o único objetivo de informar e, em caso de alguma suspeita do leitor ou da leitora, alertar que sempre um médico deverá ser consultado.Estamos aqui na torcida e oração para que a pequenina Lua, que segundo o a mamãe e o papai, está respondendo bem ao tratamento, esteja cada dia melhor!Um beijo e até a próxima!

Gostou do conteúdo? compartilhe!

Posts Recentes